TRANSMISSÃO AO VIVO

cultoaovivo2

Cultos gravados

cultos-gravados

Como chegar a PIBN

Digite o seu endereço.
Endereco:
Cidade:
Estado:
CEP:

Acompanhe a PIBN

Boletim Dominical

PEDIDO DE ORAÇÃO

FAÇA AQUI O SEU PEDIDO DE ORAÇÃO ON LINE

Nome:

Telefone para contato:

E-mail:

Seu pedido:
 

Climatempo

Principal
Uma igreja viva PDF Imprimir E-mail
Vivemos dias de muitas igrejas. Umas com templo próprio, outras sem, ou que se reúnem em casas, em células, ou em pequenos grupos. Umas com pastores, outras sem. Umas sustentadas pelo Estado, outras pelos dízimos e ofertas de seus membros. Umas que pregam o verdadeiro Evangelho, outras que pregam prosperidade material. Umas que se reúnem para adorar a Deus, outras que não dão valor à adoração. Umas que evangelizam, outras que não dão ênfase à proclamação do Evangelho. Umas que praticam o primeiro amor, outras que dificilmente testemunham de seu amor a Deus e ao próximo. Umas que gostam de um culto tradicional, outras que optam por um culto mais contemporâneo. Umas que contam com a presença de seus membros no culto, outras que estão com seus bancos vazios, pois seus membros estão sempre ausentes, ficam em casa, preferem assistir a uma novela ou a um jogo de futebol a estar na casa do Senhor. Outras são igrejas virtuais. Seus membros assistem os cultos de longe e estão conectados com muitos outros – a é o meio que têm para participar do culto. Também existem online internet as igrejas do cárcere, as igrejas dos quartéis militares, todas compostas por aqueles que se converteram e foram batizados. Além destas, existem muitas outras que se acham no direito de serem conhecidas como igreja.

Mas há aqueles que não dão importância à igreja. São os “desigrejados”, os sem igreja. São avessos à instituição. Abandonaram a igreja. Não gostam dela. Não frequentam mais os cultos, não entregam dízimos e ofertas, não evangelizam, não cantam, não adoram, não desfrutam da comunhão com os irmãos, enfim, vivem confinados em seu próprio mundo. Diante desse quadro, será que encontramos uma igreja viva? Como é essa igreja? É uma igreja cheia do Espírito Santo a exemplo da igreja primitiva (ver Atos 2.42-47). J. Stott, em seu livro Sinais de uma igreja viva (P. 8-14), mostra que a igreja viva tem quatro marcas:

1ª) É uma igreja que se preocupa e persevera no ensino dos apóstolos. Como precisamos aprender mais da Palavra! Como precisamos ficar firmes no ensino que os apóstolos nos deixaram!

2ª) É uma igreja cujos membros vivem em “comunhão e ajuda mútua”. Eles participam “em comum no Pai, no Filho no Espírito Santo”. Essa comunhão é extremamente importante, pois, hoje, muitos vivem isolados em suas casas ou apartamentos. Ah! Se buscassem ter comunhão com Jesus e com seus discípulos!

3ª) É uma igreja cuja adoração é “prazerosa e reverente”. Como precisamos melhorar nossa adoração ao Senhor! Só Ele merece o nosso louvor, a honra, a glória, e o melhor culto que pudermos Lhe oferecer.

4ª) É uma igreja que pratica a “evangelização contínua”. Será que temos nos preocupado em evangelizar pelo menos uma pessoa neste mundo? Que estas marcas estejam impregnadas em nós, pois, assim, poderemos ser uma igreja viva e não uma igreja morta!

Para tanto, Deus nos abençoe.

Seu pastor e amigo,
J. Laurindo

 

Aliança Batista Mundial Convenção Batista Brasileira JMM JMN UFMBB UHBB JUMOC CBF STBN