TRANSMISSÃO AO VIVO

cultoaovivo2

Cultos gravados

cultos-gravados

Como chegar a PIBN

Digite o seu endereço.
Endereco:
Cidade:
Estado:
CEP:

Acompanhe a PIBN

Boletim Dominical

atividadespibn

PEDIDO DE ORAÇÃO

FAÇA AQUI O SEU PEDIDO DE ORAÇÃO ON LINE

Nome:

Telefone para contato:

E-mail:

Seu pedido:
 

Climatempo

Principal
O que fazer? PDF Imprimir E-mail
Essa é uma pergunta muito apropriada para o mundo que vivemos. O que fazer diante dos diferentes não é uma questão simples assim. É, na verdade, um tremendo desafio para qualquer um de nós. Mas, mais difícil ainda é saber como agir para com eles. Isso porque nem sempre gostamos daquilo que os diferentes fazem, ou da maneira como atuam, ou da forma como pensam.

Preocupado com o que fazer diante dos diferentes, o Pastor Israel Belo de Azevedo, chama a atenção para o seguinte: “Se não somos cuidadosos, vamos tratá-los exatamente como não gostariam de ser vistos, impedindo que toquem as suas vidas” (http://www.itacuruca.org.br/files/bomdiaamigo/BDAItacuruca2018.pdf). Então, precisamos ter todo o cuidado ao lidar com os que pensam ou são diferente de nós. Não devemos criar situações que os levem a viver no isolacionismo, ou longe de nós, sem contar com a nossa ajuda.

Há muitos que são diferentes de nós em vários aspectos. Às vezes caímos no erro de nos afastar deles. Nossa tendência carnal nos leva a nos separar dos autistas, dos esquizofrênicos, dos bipolares, dos portadores de Síndrome de Down, dos que vivem em depressão, dos que possuem alguma doença crônica ou dos que são portadores de qualquer outra deficiência (Adp. Ibidi). O que fazer quando nos deparamos com essas pessoas? Qual deve ser a nossa atitude diante delas? A orientação precisa vinda das Escrituras Sagradas diz que não podemos fazer acepção de pessoas. Até em oculto isso é proibido. Diz a Palavra: “Certamente vos repreenderá, se em oculto fizerdes acepção de pessoas” (Jó 13.10).

Nossa atitude para com os diferentes deve estar regada de amor. Só o amor tem a capacidade de nos motivar a nos aproximar deles e fazer com que possamos compreendê-los. Só o amor fará com que possamos ouvi-los. Só o amor nos ajudará a dar o ombro amigo a eles, tendo-os como pessoas tão importantes como quaisquer outras. Só o amor fará com que nós também reconheçamos as nossas falhas, limitações, carências e necessidades. Só poderemos tratar bem os diferentes se seguirmos o grande mandamento de Jesus que inclui amar o próximo como a nós mesmos (ver Mt 22.39).

Que possamos fazer o melhor para com aqueles que são diferentes de nós seja na família, na Igreja ou na sociedade.

Para tanto, Deus nos abençoe.

Seu pastor e amigo, J. Laurindo

 

Aliança Batista Mundial Convenção Batista Brasileira JMM JMN UFMBB UHBB JUMOC CBF STBN